Jornalista angolano lança livro no Forum da Cultura

Jornalista angolano lança livro no Forum da Cultura

Formado na Universidade Federal de Juiz de Fora, o jornalista e escritor angolano Augusto Alfredo Lourenço receberá seus amigos brasileiros no lançamento de duas obras hoje, 15 de dezembro, às 20h, no Forum da Cultura (Rua Santo Antônio, 1112 – Centro), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Serão lançados os livros: “As aventuras de um estudante angolano no estrangeiro” e “Angola 40 anos: Memórias de um repórter”. A renda obtida na noite de autógrafos será destinada ao apoio às vitimas do acidente ambiental de Mariana. Os livros poderão ser adquiridos no valor de R$20.

A arte de contar histórias


“Eram 22 horas, quando desembarcou na Avenida Rio Branco. Havia muita gente nas ruas bem iluminadas e Capa_Aventuras de um estudante angolano no Brasilrestaurantes plantados ao longo da Avenida. Auxiliado por um prestativo mineiro, procurou uma cabina telefônica. Do outro lado, alguém atendeu e prometeu ir ao seu encontro. Minutos depois, estava em presença de um indivíduo baixo, escuro e calvo. Saudou-o efusivamente e quis saber logo de notícias do país. E a guerra como vai? Nem sabe o que respondeu. Será que fazia sentido perguntar-se a alguém: o óbito correu bem?”. Este é um trecho do livro “Aventuras de um estudante angolano no estrangeiro”, em que o autor relata as experiências vivenciadas por dois estudantes intercambistas que vieram ao Brasil para concluir os estudos.
O livro conta, com riqueza de detalhes, como foi o processo de descobertas e adaptação cultural no novo país, além de mostrar as dificuldades como a falta de segurança, a falta de dinheiro e a saudade dos familiares e do país, que naquela época estava em guerra. A obra, que tem o prefácio assinado pela professora da UFJF Márcia Falabella, já foi lançada em Portugal e Angola.

A segunda obra


O livro-reportagem “Angola 40 anos: Memórias de um repórter” é uma edição comemorativa aos 40 anos de independência de Angola. Na obra, o autor narra histórias reais sobre o cotidiano e os anseios de cidadãos angolanos que vivem nas zonas rurais, e também relata os conflitos e as marcas deixadas pela guerra no país africano. A publicação foi baseada em uma série de reportagens escritas para o caderno de economia do Jornal de Angola, durante as comemorações de 30 anos de independência do país.
“Memórias de um repórter” é escrito com a delicadeza e precisão necessárias para a composição da narrativa que levará o leitor a se imergir em histórias que unem o passado e o presente de Angola. O autor explica como foi a construção da reportagem que deu origem ao livro: “ao invés de entrevistarmos um economista ou mesmo um governante, optamos por percorrer mais de 300 quilômetros e colher em cada pedaço da estrada, esquina ou rosto de transeuntes, histórias que marcaram os 30 anos da independência de Angola. Rever as suas expectativas, alegrias e tristezas. Percorrer trilhas do caminho, reviver sabores e aromas de um tempo que persiste em ser presente”.

O autor


Augusto Alfredo é angolano graduado em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social da UFJF. Depois da graduação regressou ao seu país, tendo trabalhado como repórter e mais tarde promovido a editor da página de economia do Jornal de Angola, único diário do país.
Paralelamente ao exercício do jornalismo, lecionou em regime de colaboração às disciplinas de Teoria da Comunicação, Gêneros Jornalísticos e Técnica de Reportagem na Universidade Antônio Agostinho Neto e no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), em Luanda. Durante sua estadia na UFJF, participou ativamente como membro do Grupo Divulgação tendo atuado nos espetáculos “O dragão verde”, de Maria Clara Machado, “O homem e o cavalo”, de Oswald de Andrade, “O mistério das nove luas”, de Ilo Krugli, e “A incelença”, de Luiz Marinho.
Além de jornalista é militar das Forças Armadas Angolanas. Atualmente exerce a função de adido de defesa junto da Embaixada de Angola no Brasil. É autor das obras “Inquietações do jornalismo”, “Aventuras de um estudante angolano no estrangeiro” e “Angola 40 anos: Memórias de um repórter”.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro