Espetáculo de balé conta as aventuras de Peter Pan e homenageia o Rio de Janeiro

Espetáculo de balé conta as aventuras de Peter Pan e homenageia o Rio de Janeiro

Com um elenco de mais de 180 bailarinos, a Academia Corpus Núcleo de Dança se apresenta no Cine-Theatro Central nos próximos dias 12 e 13 de dezembro, com um espetáculo em duas partes – Peter Pan, as aventuras do menino que se recusa a crescer, e Rio 450, um passeio pela história da cidade do Rio de Janeiro, que está comemorando seus 450 anos em 2015. A diretora da Academia, Denise Milward, acredita que o espetáculo tem tudo para encantar o público.

Peter Pan


O espetáculo traduz para a linguagem do balé a história do clássico do teatro e da literatura infantil de autoria do escocês J. M Barrie, que começa numa fria noite londrina. Ao ouvir as histórias que Wendy contava aos seus irmãos mais novos, Peter Pan convence as crianças a voarem até a Terra do Nunca. Lá acontecem fantásticas aventuras entre índios, piratas e sereias, com os mais incríveis personagens: Capitão Gancho, Sininho e os meninos perdidos.
No magnífico mundo de Peter Pan, as pessoas voam, as fadas são reais e as crianças nunca crescem. A primeira montagem de Peter Pan aconteceu em Londres, em 1904, e desde então tornou-se uma das peças mais apresentadas a partir de um conto infantil. “O misto de aventura e emoção vai agradar em cheio a crianças, jovens e adultos”, assegura Denise Milward.

Rio 450


A fama do juiz-forano como “carioca do brejo”, alusão à influência e ao encantamento que o Rio de Janeiro exerce sobre a cidade, inspirou a segunda parte da apresentação da Corpus, que homenageia os 450 anos da Cidade Maravilhosa. “Além de todas suas belezas e tradições, o Rio de Janeiro sempre teve músicas à sua altura e, ao longo da sua história, foi a trilha sonora que fez da Cidade Maravilhosa a capital musical do Brasil”, afirma a diretora.
No palco, os bailarinos apresentam um pouco dessa trama, mostrando que a cidade, no seu início, era um Rio de samba e choro. Já com a bossa nova, a cidade é pura leveza e otimismo. Músicas de Tim Maia também estão na trilha sonora do espetáculo. Segundo Denise, “poucos cantaram tão bem as belezas do Rio tanto na paisagem quanto na música e no suingue como o tijucano Tim Maia”.
O enredo mostra que a cidade mudou muito nos anos 1980 e foi retratada pelos cariocas Fernanda Abreu e Fausto Fawcet no batidão funk de Rio 40º. Nas praias, na periferia e nos morros do Rio de Janeiro, outro estilo musical, o hip hop, encontra o samba quando Marcelo D2 descobre a “batida perfeita”.
“Ao longo do tempo, os estilos musicais do Rio de Janeiro vão se integrando à história da cidade como se fossem camadas de sabores de uma lasanha ou de um rocambole que, quando você corta uma fatia, o que se ouve é o som da Cidade Maravilhosa”, acrescenta a diretora.

Mais informações: (32) 3215-1400

 

(Fonte: Assessoria)

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro