Oficina fotográfica explora os limites entre o real e o ficcional no CCBM

Oficina fotográfica explora os limites entre o real e o ficcional no CCBM

A fotógrafa juiz-forana Jéssica Ribeiro, selecionada no 4° Prêmio Funalfa de Fotografia, com o ensaio “Passagem”, ministrará a oficina “Jogo de Cena: Sessão e Debate”, nesta terça-feira, 8, a partir de 19h, na videoteca do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (Avenida Getúlio Vargas, 200, Centro). A entrada é gratuita, não é necessário realizar inscrição, e o limite de vagas está sujeito à capacidade do espaço. A oficina contará ainda com a participação da escritora e roteirista Ana Lúcia Pitta, autora das crônicas que integraram o ensaio.
Com três horas de duração, a oficina começará com a exibição do documentário brasileiro “Jogo de Cena”, seguido de um debate no qual será estimulada a reflexão sobre as possibilidades artísticas ao trabalhar o real e o ficcional.
Lançada em 2007 e dirigida por Eduardo Coutinho, a produção apresenta 83 mulheres que contam suas histórias de vida, sendo que 23 delas foram selecionadas em junho de 2006. Ambientado no Teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro, o filme transita entre a realidade e a ficção, na medida em que o diretor também selecionou atrizes para interpretar as histórias contadas por essas mulheres.
Na exposição “Passagem”, que integrou o projeto “JF Foto 15”, Jéssica Ribeiro convidou cinco pessoas para serem fotografadas em diferentes pontos de Juiz de Fora. Expostas em uma instalação com os ruídos típicos desses cenários e crônicas, as imagens convidavam o espectador a criar sua própria história: “Com a utilização de áudios e textos, a ideia foi criar um ambiente no qual o que estava sendo contado tivesse relação, de alguma forma, com as pessoas retratadas”.
O documentário dialoga com a exposição “Passagem”, na medida em que Jéssica trabalhou também com personagens nas fotografias e, desse modo, desenvolveu imagens a partir dessas histórias: “Para além disso, do jogo entre o real e a ficção, pretendo discutir as possibilidades dentro da arte, de se mesclar textos e imagens. No filme de Coutinho, ele trabalha com a fala, que se repete. No meu caso, foi a fotografia, o áudio e o texto”.

A fotógrafa


Jéssica Ribeiro tem 24 anos, é natural de Cataguases/MG, radicada em Juiz de Fora desde 2009 e formada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com “graduação sanduíche” em Cinema, pela University of East London (Inglaterra).
Além da experiência artística como documentarista e fotógrafa no “JF Foto 15”, Jéssica participa atualmente do 1º Circuito de Arte Atual, promovido pela Pró-Reitoria de Cultura da UFJF, com a exposição “Cartografias de Verão”.
Em outubro, ela foi vencedora dos prêmios “Incentivo e Júri Popular”, do Festival de Cinema Primeiro Plano, com o curta documental "Marlene - Histórias de um Forró” (2015).

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro