Arquidiocese apresenta Campanha da Fraternidade 2016

Arquidiocese apresenta Campanha da Fraternidade 2016

A Arquidiocese de Juiz de Fora apresentou, em coletiva de imprensa realizada na sexta-feira, 5, o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, “Casa Comum, nossa responsabilidade”, com o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). O lançamento oficial acontece na Quarta Feira de Cinzas, 10, durante celebração realizada na Catedral Metropolitana, às 19h.
O arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira, apresentou os objetivos da campanha deste ano. Também estiveram presentes o padre José de Anchieta Moura Lima, vigário episcopal para o Mundo da Caridade; padre Everaldo José Sales Borges, secretário executivo da coordenação de pastoral arquidiocesana; padre Antônio Camilo de Paiva, vigário episcopal para Educação, Comunicação e Cultura; e pastor Messias Valverde, da Igreja Metodista.
Segundo dom Gil, desde 1964, quando a Campanha da Fraternidade foi iniciada no Brasil, os temas escolhidos estão relacionados a assuntos de interesse geral, fugindo a doutrinas específicas. No caso deste ano, o tema é saneamento básico. “Elas são realizadas sempre na época da Quaresma, em preparação para a Páscoa, e nunca tratam de assuntos propriamente doutrinais, mas assuntos amplos, que interessam a todas as pessoas. A campanha deste ano quer tratar do problema do saneamento básico”. Segundo o arcebispo, a reflexão que deve ser feita é “A natureza está sendo protegida ou está sendo destruída pelos homens?”, proposta por meio de uma encíclica proposta pelo papa Francisco, no ano passado.
Para o pastor Messias, que participa representando a Igreja Metodista, a Campanha Ecumênica é importante por reforçar que “somos todos membros de uma família cristã”, já que não é apenas da Igreja Católica. Segundo ele, “o fundamental da campanha é levantar um tema que afeta a vida de boa parte da população, além de desafiar as diversas tradições cristãs a promover um esforço comum, no sentido de somar esforços para que algo novo seja feito pela mudança da realidade e a favor da vida”.
A necessidade de oferecer saneamento básico e qualidade de vida para a população também foram temas tratados pelos participantes da coletiva. Padre Everaldo destacou que a Igreja Católica está presente em muitos lugares, e, por isso, tem capacidade de atingir muitas pessoas e atuar na conscientização da população.
A conscientização também foi defendida pelo padre Anchieta, que afirmou que a campanha tem o objetivo de estimular uma mudança de cultura não só na população, mas nas autoridades, visto que, segundo ele, muitas leis são descumpridas por parte dos governantes. Para padre Camilo, este é o momento de esclarecer a questão do saneamento básico e apresentar uma visão crítica para a população.
A Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 termina no Domingo de Ramos, 10 de março, quando será realizada a Coleta Nacional da Solidariedade, com a destinação de recursos para projetos sociais.

PARCERIAS
O arcebispo Dom Gil também falou sobre propostas que a Arquidiocese tem para colaborar com a solução dos problemas de saneamento básico na cidade. Segundo ele, existem projetos para que a Igreja possa conscientizar a respeito da coleta seletiva e para investir na limpeza do Rio Paraibuna. Segundo padre Everaldo, alguns projetos, inclusive, já estão sendo executados nesse sentido.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro