Acidentes em linha férrea tiveram aumento de 10% em 2017

Acidentes em linha férrea tiveram aumento de 10% em 2017

Balanço divulgado pela MRS Logística aponta aumento de cerca de 10% no número de atropelamentos ou abalroamentos registrados por toda a malha ferroviária de responsabilidade da concessionária, em 2017, no comparativo com 2016. Conforme os dados, foram registrados 103 incidentes no ano passado, enquanto o ano anterior teve 93 ocorrências. As informações levam em conta os 105 municípios nos quais a empresa está presente, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.


Em Juiz de Fora, especificamente, as estatísticas mostram aumento de mais de 36% no número de acidentes se comparado a 2016. Foram 15 registros em 2017, contra 11 no ano anterior. Na avaliação do gerente geral de Comunicação da instituição, Marcelo Kanhan, o resultado está relacionado diretamente com o comportamento da população. “A gente não deixa de encarar esse número com certa tristeza. Juiz de Fora é uma cidade ferroviária e, acima de tudo, quando olhamos para a dinâmica dos acidentes, percebemos que eles poderiam ser evitados. Só vamos conseguir avançar nos números quando as pessoas tiverem consciência que alguns riscos são desnecessários”, afirma.


Kanhan explica que a “má avaliação dos riscos” é o fator responsável pela triste estatística. “Temos o primeiro grande grupo: o da imprudência, que são situações que, voluntariamente, a pessoa coloca sua vida em risco. Ela sabe que o trem está vindo, mas, por impaciência, pressa, ou algum motivo comportamental, se submete aos perigos. O segundo bloco é o da desatenção: o uso de fones de ouvido ou smartphone, caminhando nas proximidades da passagem em nível ou dentro do veículo. E, por último, o uso de álcool e drogas”, explica.

 

CARNAVAL E ATENÇÃO PRECISAM ESTAR LIGADOS


Em época de Carnaval, o gerente ressalta que o álcool é o principal causador de acidentes. “A presença do elemento álcool nos acidentes é muito grande. É uma questão difícil de combater, mas percebemos que essas pessoas se envolvem mais em tragédias. O Carnaval é período de consumo de álcool, brincadeiras, e em alguns cantos da cidade, a festa tem o encontro com a malha ferroviária. Por isso, é interessante evitar os exageros e ficar atento à chegada do trem”, reforça. “A MRS tem uma presença de engajamento direito com a comunidade. Temos ações em escolas, nas próprias passagens em nível. Ano passado, atingimos quase 80 mil pessoas por toda a malha”, acrescenta Kanhan.

 

PROJETO LINHA DA VIDA


Com o projeto "Linha da Vida", a MRS reúne órgãos e pessoas interessadas em promover a maior harmonia no trânsito, em ações que pretendem diminuir os riscos de acidentes. No site www.linhadavida.org, a empresa elenca a missão da iniciativa, as causas de fatalidades no trânsito e orientações gerais para a população. A iniciativa é o principal canal da empresa na difusão das informações e conscientização sobre os acidentes ferroviários.


Qualquer pessoa pode entrar em contato com a entidade e solicitar uma conversa. O principal canal de relacionamento é o Facebook do projeto: Facebook.com/projetolinhadavida ou a página da MRS www.facebook.com/MRSLogistica/.

 

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro