Como seria a história do carnaval sem as “Domésticas de Luxo”?

Como seria a história do carnaval sem as “Domésticas de Luxo”?

Com essa questão em seu samba enredo de 2018, o bloco “Domésticas de Luxo”, formado por homens vestidos de mulher, com rostos pintados de preto e peruca, saíram pelas ruas de Juiz de Fora, neste sábado, 3. O bloco chegou a sua edição de número 60.

A concentração do bloco começou por volta das 11h no Parque Halfeld. Com o passar das horas o local foi recebendo mais pessoas, dentre integrantes caracterizados, instrumentistas com suas baterias e foliões com adereços, spray de espuma e confete.

Valdir Alves, presidente do grupo que organiza o “domésticas” relembrou a história de origem, explicando que “ele surgiu a partir de seis jovens amigos que moravam em Belo Horizonte, mudaram-se para Juiz de Fora e criaram o bloco em homenagem às mulheres, no bairro São Mateus.” Valdir também destacou a sensação de felicidade pelos 60 anos de aniversário do bloco, o qual ele integra a mais de 20 anos.

O “Domésticas de Luxo” não funciona somente durante o período do carnaval. Os organizadores reforçam que ao longo do ano diversas ações solidárias e campanhas são promovidas pelo grupo, como por exemplo doações de sangue.

Hudson Daibert, que trabalha como copeiro e tem 56 anos, participa do “Domésticas de Luxo” a quatro anos. Ele se integrou ao bloco após receber um convite de um amigo. “Eu amo o domésticas. Até morrer sou domésticas.” Afirma enfaticamente. Hudson explica que gosta do bloco por ser “familiar, um ambiente onde não se vê brigas e só tem amor e carinho.”

Desde o ano de 1958 o bloco é evento registrado no carnaval de Juiz de Fora, tanto que em 2010 foi condecorado como Entidade Pública Municipal e também é considerado Patrimônio Cultural de Juiz de Fora.

Jânio Augusto é comerciante e tem 55 anos, ele participa do bloco desde 1980. “Um amigo me convidou para participar e me impressionei com a irreverência, as brincadeiras e diversidades de ideias.” Augusto também convida outras pessoas a integrarem o grupo. “O convite para participar do bloco está aberto. O Domésticas é alegria e o carnaval de Juiz de Fora começa com ele.” conclui.

Com o samba enredo “Domésticas de Luxo em festa, 60 anos de alegrias”, a partir das 14h o bloco se deslocou do Parque Halfeld até a Praça da Estação. Como presente pelos 60 anos, um carro alegórico em formato de bolo, com dois integrantes fundadores, serviu como abre alas para o bloco.

A Polícia Militar (PM) não divulgou nenhuma estimativa de público, entretanto a Rua Halfeld estava repleta de pessoas. Agentes de trânsito da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) informaram que a Avenida Rio Branco, a Rua Batista de Oliveira e a Avenida Getúlio Vargas foram bloqueadas momentaneamente, apenas para que o bloco seguisse passagem até a Praça da Estação. Somente a Rua Halfeld, parte baixa, ficou interditada durante toda duração do bloco, previsto para terminar às 18h.

Jordana da Silva, que é auxiliar de limpeza, não perde nenhuma edição do “Domésticas de Luxo”. “Eu sempre venho ao bloco e trago meus filhos e toda a família.” Ela também destaca a segurança do evento. “Esse bloco é muito família e eu fico tranquila para trazer minhas crianças.” conclui.

Durante o desfile do “Domésticas de Luxo” um grupo de jovens negros realizou manifestações contra a forma de como o bloco é construído. Com cartazes com dizeres, como por exemplo, “Eu não sou sua fantasia” e “Black face não é homenagem, é racismo”, o grupo circulou por entre os foliões apresentando sua indignação. O “black face” foi uma prática teatral, muito utilizada nos Estados Unidos do século 19, na qual os atores se pintavam com carvão de cortiça para representar personagens afro-descendentes.

Atualmente a prática é considerada por muitas pessoas como uma forma de racismo e opressão.

Os organizadores do bloco, entretanto, reforçam, antes do bloco iniciar seu percurso, que “o domésticas não tem preconceito e não tem racismo.” Destacam que são um bloco caricato e que a única intenção é celebrar a tradição e a alegria do carnaval.

O final de semana em Juiz de Fora ainda tem uma programação recheada de eventos carnavalescos. Neste domingo, 4, o destaque é o desfile do Parangolé Valvulado, cuja concentração acontece na Praça dos Três Poderes, a partir do meio-dia, com desfile pela Avenida Getúlio Vargas.

WhatsApp Image 2018 02 03 at 18.39.44

WhatsApp Image 2018 02 03 at 18.39.42

WhatsApp Image 2018 02 03 at 18.59.50

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro