Programa de segurança alimentar e nutricional do Sesc será desenvolvido em JF

Programa de segurança alimentar e nutricional do Sesc será desenvolvido em JF

Uma iniciativa que tem contribuído com a redução da fome de milhares de brasileiros chegou a Juiz de Fora. O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional, composto por várias ações educativas. O projeto busca sobras de verduras, legumes e frutas nos estabelecimentos comerciais e entrega em instituições assistenciais. Em 2017, mais de 3 milhões de quilos de alimentos foram distribuídos, beneficiando quase 320 mil pessoas de 928 entidades.


Produtos que até então são jogados fora, a partir de 19 de fevereiro alimentarão os juiz-foranos que vivem em situação de vulnerabilidade social. É a mercadoria que fica murcha, aparece uma mancha que não dá mais para comercializar, mas que é aproveitável. O programa funciona como uma rede de solidariedade. A ideia é promover parcerias com supermercados, indústrias e produtores rurais. "Buscamos onde está sobrando e entregamos nos locais nos quais está faltando”, explica a nutricionista Deborah Albuquerque de Freitas.


Os alimentos arrecadados passam pelo controle de segurança do programa, antes de serem doados para as entidades. “A partir dos excedentes de produção, as sobras que seriam jogadas no lixo, os funcionários das empresas e os voluntários fazem a pré-seleção para definir o que é próprio para consumo. Então, os alimentos são redirecionados para entidades sociais”, afirma Deborah, acrescentando que para receber as doações as entidades precisam estar cadastradas. “Estando elencadas, elas também participam das atividades educativas, que são os cursos, também disponibilizados para os doadores”, explica.


Deborah ressalta que para continuar recebendo as doações as instituições devem cumprir alguns requisitos. “O dinheiro que a entidade deixou de gastar com a compra dos alimentos podem ser investidos em outros setores, como a reforma de uma cozinha ou a aquisição de materiais. O programa trabalha com visitas de orientação e monitoramento das entidades. Além do mais, elas devem possui CNPJ ativo, desenvolver atividades com essa temática e estarem inscritas em conselhos de assistência social, por exemplo”, reforça.


Embora não tenha divulgado números, o Sesc espera fechar parcerias com grandes marcas e beneficiar as instituições de forma gradativa. “A princípio, nossa intenção é começar pequeno, de forma organizada. A gente tenta não criar grandes expectativas. Algumas instituições foram inseridas na lista de espera e à medida que o volume de capitação aumentar, elas serão beneficiadas”, diz a nutricionista. A previsão é que, em breve, a unidade receba duas vans para condicionar os alimentos que serão recolhidos de segunda a sexta. “São veículos com capacidade de carga de 800 quilos”, lembra Deborah.


A expectativa, segundo o gerente da unidade em Juiz de Fora, Leonardo Parma, é a melhor possível. “A maioria das pessoas que conhecem o programa se encantam. Isso gera engajamento da sociedade e todo mundo está esperançoso”, comenta.
Quem quiser colaborar com o programa ou buscar informações pode ligar no número (32) 3311-6940.

 

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro