UFJF inicia instalação de cerca no Lago dos Manacás

UFJF inicia instalação de cerca no Lago dos Manacás

A Pró-reitoria de Infraestrutura e Gestão (Proinfra) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) inicia, nesta quarta-feira, dia 24, as obras de cercamento do Lago dos Manacás, localizado no campus universitário. Os objetivos da implantação da cerca são a manutenção do espaço acadêmico-científico, a preservação da biodiversidade encontrada no local e a prevenção de acidentes.

No início da noite da última terça-feira, 23, a Administração Superior da UFJF se reuniu com o presidente da Sociedade Pró-Melhoramentos (SPM) do Bairro Dom Bosco, José Braz, com a vice-presidente, Maria Inês Raposo Beghelli, e com o integrante do Conselho Luiz Gonzaga de Assis, para explicar os motivos da decisão. Os representantes do bairro compreenderam e concordaram com a necessidade da iniciativa, bem como se comprometeram a dialogar com a comunidade e a auxiliar na distribuição de um comunicado produzido pela UFJF. O encontro também foi considerado importante por estreitar ainda mais os laços da Universidade com a comunidade para o reforço de ações futuras de extensão. No mesmo dia, no período da manhã, o reitor Marcus David já havia se reunido com outro conselheiro da SPM do Bairro, Luiz Cláudio Nascimento, que também manifestou apoio à medida.

O Lago dos Manacás não tem a finalidade de abastecimento humano, pesca ou balneabilidade, conforme sinalização presente em suas margens e se apresenta como um estratégico ambiente para o desenvolvimento de pesquisas e estudos promovidos pelos Programas de Graduação e Pós-graduação da Universidade.

Em 2009, por exemplo, O Laboratório de Ecologia Aquática da UFJFinstalou no Lago o aparelho denominado Hobo, com objetivo de obter dados climatológicos de alta precisão. A coleta serviu de complemento para os estudos limnológicos realizados no espaço. Já em 2013, para determinar qual o tempo de vida útil do lago, começou a ser desenvolvido um projeto coordenado pelo professor da Faculdade de Engenharia, Luiz Evaristo Dias de Paiva. A intenção era alertar usuários da Universidade e cidadãos de Juiz de Fora acerca da importância de se preservar o lago do campus.

Além das funções relacionadas à irrigação, em períodos de seca, estética paisagística e contribuição hídrica para o córrego Independência (afluente do rio Paraibuna), o Lago ainda desempenha um papel de extrema importância para o conforto térmico e a manutenção das comunidades aquáticas locais.

“A justificativa para construção da cerca no lago, à altura do pórtico sul do campus, também visa a prevenção de acidentes da comunidade em geral, em decorrência da sua profundidade, do sumidouro que existe em seu interior, dentre outros fatores, como o fundo do lago, que é composto por lama. A ação é um ato preventivo, em prol da segurança das pessoas e do meio ambiente”, explica o pró-reitor de Infraestrutura e Gestão da UFJF, Marcos Tanure Sanabio.

A Proinfra vem atuando, junto às comunidades acadêmica e externa, com o intuito de conscientizar a população sobre os riscos do uso recreativo das águas do Lago dos Manacás. Em 2015, na intenção de coibir essa prática, a UFJF, por meio da Superintendência de Segurança e Secretaria-geral, convidou autoridades do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e SPM do Bairro Dom Bosco para discutir ações que promovam a conscientização da população sobre os perigos destas atividades.

Mesmo assim, a estrutura tem sido utilizada como ponto de pescaria e lazer por moradores dos bairros que rodeiam o campus, principalmente no verão. “É importante salientar que a Universidade, através da Pró-reitoria de Extensão (Proex), por exemplo, dentre outras ações, promove o Programa Boa Vizinhança, que objetiva a integração da comunidade do entorno com as atividades da UFJF. Por outro lado, deve se reconhecer que faltam áreas de lazer para a comunidade, em especial nos bairros da cidade alta”, argumenta Sanabio.

Universidade oferece opções de lazer e interatividade para a comunidade externa

Compreendendo que a democratização da Universidade passa, necessariamente, pelo fortalecimento do diálogo com os segmentos que a compõem mas, também, com a comunidade externa, a Proex tem buscado meios para promover a articulação entre o saber acadêmico e a vida social, incorporando as demandas sociais e direcionando a produção do conhecimento para a comunidade externa à UFJF. A partir desses princípios, a Pró-Reitoria de Extensão desenvolve programas estratégicos, com acompanhamento e apoio específicos, devido à relevância das ações desenvolvidas.

Programa Boa Vizinhança

Um desses programas é o Boa Vizinhança, que busca aproximar a Universidade de outros segmentos da sociedade, priorizando o trabalho com a comunidade dos bairros do entorno do campus. Para dar início às atividades relacionadas ao Programa, durante o ano de 2016, a Proex convidou entidades sem fins lucrativos, igrejas, associações de moradores, grupos culturais e outros sujeitos coletivos do entorno a fim de levantar demandas de ações de extensão a serem desenvolvidas na região.

Após as reuniões, 19 instituições apresentaram suas demandas formalmente, as quais foram direcionadas à comunidade universitária por meio de edital, que resultou na aprovação de 20 projetos de extensão, com alocação de 39 bolsistas e 14 voluntários, selecionados entre os graduandos da UFJF. Desta maneira, desde 1º de junho de 2017, equipes formadas por professores, técnicos e estudantes da Universidade trabalham com instituições indicadas pelos coordenadores de projeto em suas propostas de trabalho, elaboradas a partir das demandas apresentadas.

Em 2018, a Proex pretende lançar novo edital para submissão de propostas para o Programa Boa Vizinhança, com o objetivo de ampliar o apoio que vem sendo destinado a esse tipo de ação, bem como aumentar a quantidade de pessoas envolvidas. Além dessas ações, a comunidade do entorno do Campus Juiz de Fora também tem sido atendida pelo Programa Boa Vizinhança Línguas, que oferece cursos de inglês e espanhol para 180 pessoas oriundas de escolas públicas e prioritariamente moradoras dos bairros do entorno do Campus.

Há ainda outros projetos submetidos a editais da Proex, como o 03/2016 (Projetos de Extensão em Interface com a Pesquisa) e o 01/2017 (Programas e Projetos de Extensão, de demanda espontânea, com solicitação de bolsas) – sendo desenvolvidos junto à comunidade do entorno do campus, tendo como parceiros escolas, associações e o próprio Hospital Universitário (HU) da Universidade.

Domingo no Campus

O projeto de extensão Domingo no Campus, promovido Pela Diretoria de Imagem Institucional, se configura como um dos mais importantes canais de interlocução entre a Universidade e a comunidade. A iniciativa promove eventos que oferecem diversas atividades de recreação para idades variadas, com o resgate de brincadeiras – como rebater bola, pular corda, futebol de botão e de prego, contação de histórias, músicas e jogos – e de músicas de gêneros diversificados. O público ainda pode participar de oficinas de montagem de brinquedos recicláveis, fundamentos do vôlei, alongamento, artesanato e bordado.

O Domingo no Campus promove, ainda, espaço para que outros projetos de extensão ampliem sua capacidade de interação e inserção social, mostrando um pouco do seu trabalho para o público presente, como ocorreu durante todo o ano de 2017.

Intecoop

A Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal de Juiz de Fora (Intecoop/UFJF) promoveu, em 2017, edições da Feira de Economia Solidária da Zona da Mata Mineira, que ocorreram no segundo sábado de cada mês, na Praça Cívica, sempre com atividades culturais.

Centro de Ciências

No dia 3 de julho de 2017, com a inauguração do novo prédio do Centro de Ciências, no centro do campus universitário, o espaço tornou-se ainda mais expressivo para a cidade. De julho a dezembro de 2017, a instalação recebeu mais de 22 mil visitantes de Juiz de Fora e toda a região da Zona da Mata e Campos das Vertentes, configurando-se como um dos maiores agentes de extensão universitária da UFJF e possibilitando o acesso ao conhecimento científico a toda a população.

Com três mil metros quadrados, distribuídos em quatro andares, o Centro oferece diversas atividades, como três exposições permanentes (Tabela Periódica Interativa, Célula ao Alcance da Mão e “Aprenda Brincando” – esta última composta por 22 experimentos de física que permitem a participação direta do visitante na investigação dos conceitos envolvidos). Há ainda o Espaço Interativo do Museu de Malacologia “Prof. Maury Pinto de Oliveira” e o Museu de Arqueologia e Etnologia Americana “Prof. Franz Hochleitner”.

São realizadas visitações guiadas para todos os interessados em observar de perto o universo e conhecer diversos aspectos do conhecimento científico de forma interativa, seja por meio de visitas agendadas ou de visitas espontâneas.

Jardim Sensorial

O Jardim oferece visitas guiadas, espontâneas ou com agendamento prévio, de segunda a domingo. Durante o recesso acadêmico, os visitantes podem fazer uma visita guiada que começa na exposição “A Célula ao Alcance da Mão”, no Centro de Ciências, e passa pelo Jardim Sensorial da UFJF, como parte de um trabalho conjunto das equipes que atuam nesses espaços. Para o agendamento, o telefone é 2102-3917.

Fonte: Assessoria / UFJF

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro