Comerciantes estão na expectativa por aumento de 15% a 20% nas vendas de material escolar

Comerciantes estão na expectativa por aumento de 15% a 20% nas vendas de material escolar

Comerciantes de Juiz de Fora estão esperançosos após registrarem crescimento nas vendas de materiais escolares no início deste ano. A primeira semana de janeiro para algumas papelarias da cidade foi de intenso movimento, período em que elas venderam cerca de 10% da mercadoria que esperam comercializar até o fim da temporada, que se estende até os últimos dias de março. A expectativa é lucrar de 15% a 20% a mais do que o resultado atingido de 2017.

“A primeira quinzena deste mês foi bem aquecida e tende a melhorar ainda mais no fim do mês e no início de fevereiro”, afirma Leandro Braga, subgerente de uma papelaria da cidade.

Todo o otimismo está associado ao comportamento do consumidor, que aproveita a época para renovar o material de seus filhos. Apesar disso, os lojistas afirmam que a clientela está mais cautelosa na hora das compras. “O consumidor está mais atento a preços. Ele tem pesquisado cada vez mais e procurado substituir alguns materiais por outros mais econômicos ou necessários”, diz o comerciante, acrescentando que os pais têm optado por reaproveitar os itens. “Embora seja um momento em que eles costumam renovar todo o kit, neste ano percebemos que materiais de grande duração, como tesouras, estojos e até mochilas, quando em bom estado, não são trocados”, reforça.

Já prevendo o crescimento da demanda, outra loja da cidade reforçou o estoque. Segundo o subgerente Michel Adriano, as vendas de mochilas subiram cerca de 30%. “Estamos trabalhando com uma linha mais extensa, de qualidade melhor e preço mais variados para atender a diversos públicos. E isso tem feito a diferença”, comenta.

O subgerente lembra que desde o mês passado já tinha gente pesquisando preço e até mesmo comprando. “O consumidor já começa a pesquisar no Natal. Dezembro também é um período em que vendemos bastante também, algumas pessoas aproveitam para presentear os filhos com mochilas ou outros acessórios e já antecipam as compras de início de ano”, diz.

VARIAÇÃO DE PREÇOS

A reportagem do Diário Regional visitou algumas papelarias da cidade e analisou itens que fazem parte de uma lista básica de materiais escolares, como borracha, apontador simples, lápis preto, corretivo, cola branca, caixa de lápis com 12 cores, lapiseira, caneta, régua 30 cm, caderno brochurão de 96 folhas, caderno espiral capa dura 10 matérias e pacote de papel A4 com 100 folhas. A variação observada foi de quase 28% no valor da lista completa.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro