Desenhos do interno mais antigo do Educandário Carlos Chagas ganham exposição

Desenhos do interno mais antigo do Educandário Carlos Chagas ganham exposição

O interno mais antigo do Educandário Carlos Chagas, instituição beneficente que atua há 85 anos em Juiz de Fora, expõe, pela primeira vez, seus desenhos, no Shopping Jardim Norte. José Rodrigues de Jesus, mais conhecido como Juca, tem 56 anos e foi levado para o Educandário com um dia de vida, quando foi separado de seus pais, que tinham hanseníase. Desde então, com a ajuda da equipe do Educandário, Juca vem desenvolvendo seu dom pela arte. Com seus desenhos, feitos com giz de cera, ele conta histórias, expressa sentimentos e compartilha sua visão de mundo.


A exposição "Literatura desenhada" entra em cartaz no dia 10 de janeiro, no Espaço Cultural do Shopping Jardim Norte, ao lado da Praça de Eventos, no piso L1. Junto com os trabalhos assinados por Juca, serão apresentados textos de autores nacionais e locais, que dialogam com as imagens. A mostra poderá ser visitada gratuitamente até o próximo dia 30.


A trajetória de vida de Juca revela um importante capítulo da história da saúde no Brasil. Na época em que ele nasceu, os filhos eram tirados dos pais portadores de hanseníase, que, por desconhecimento da sociedade sobre a doença, eram levados para os leprosários. Em 1949, o isolamento forçado dos hansenianos virou lei federal, que vigorou até 1986.

 

LITERATURA DESENHADA


A exposição com os trabalhos de Juca faz parte do projeto "Literatura desenhada", promovido pelo Centro de Artes e Esportes Unificados Coronel Ademir Romualdo de Oliveira, a Praça CEU de Benfica. O projeto tem o objetivo de valorizar as práticas da leitura e da produção artística espontânea nos diversos públicos. Após serem expostos no Shopping Jardim Norte, os desenhos de Juca ficarão em exposição na sala de leitura do CEU (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, nº5.899).

 

O EDUCANDÁRIO


O Educandário Carlos Chagas é uma instituição civil assistencial cujo objetivo original era acolher, manter e educar crianças e adolescentes carentes, em situação de abandono, com prioridade aos filhos de hansenianos ou de qualquer outra doença. Após uma reformulação das políticas da instituição, em 2009, a prioridade passou a ser o atendimento às pessoas com deficiência física, mental e intelectual, especialmente as em situação de abandono, somente para pessoas adultas, não mais atendendo crianças e adolescentes em regime de abrigo. Entretanto, a instituição ainda mantém um programa de primeiro emprego e de aprendizagem profissional com instituições de Juiz de Fora, além de parceria com creches assistenciais. Hoje o Educandário abriga 26 acolhidos.

 

Fonte: Assessoria

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro